Logo Vivstur Viva. Viaje.
Cotação Online

BLOG VIVSTUR

O Turista Conta: 5 dias em Oahu, Havaí (Pri Lima)

Categoria: ExperiênciaData: 06/09/2020


O Havaí é o estado mais jovem e mais isolado dos Estados Unidos, localizado quase no coração do Pacífico (veja no mapa ao lado).

Além das praias famosas, possui também impressionante diversidade, com muitas áreas selvagens. É lar de um dos vulcões mais ativos, berço do surfe moderno, da dança “hula” e da Cozinha Regional Havaiana. Ah! Barack Obama nasceu na ilha.

Para chegar lá saindo do Brasil, não há voo direto. Uma das opções de conexão é em Los Angeles e de lá até o Havaí são cerca de 7h de voo.

O arquipélago tem 6 seis principais ilhas e cenários espetaculares: Oahu, Maui,  Ilha Grande (ou Ilha do Havaí), Kauai, Lanai e Molokai.

Nós queríamos saber a experiência de quem já visitou a ilha e convidamos a Pri Lima para compartilhar conosco. Abaixo, ela conta sobre sua viagem de 5 dias pela ilha de Oahu, dá várias dicas e conta em detalhes no vídeo.

No final, você vai querer pegar o primeiro avião e partir para o Havaí!

– Por que e quando escolheu ir para a ilha?

Por ser um dos lugares que mais tinha vontade de visitar, decidi comprar a passagem com 9 meses de antecedência (01/Dez/2017) em uma promoção quando morava ainda em Sydney, Austrália. Paguei na passagem (ida-volta) AUD 493, que pra época seria em torno de R$1.220,00. Lembrando que para essa viagem eu levei apenas uma mala de mão com 7kg e uma bolsa. Arrasei! Haha

– Onde ficou hospedada?

A hospedagem eu decidi lá pra Maio de 2018 (quatro meses antes da viagem) com uma amiga minha que se aventurou comigo. Como a nossa ideia era fazer uma viagem barata, decidimos ficar num hostel (Waikiki Beachside Hostel) que custou para cada uma (as 5 noites de hospedagem) em torno de R$ 850,00

– Dia 1 (03/Set/2018)

Chegada ao aeroporto de Honolulu às 6h. Sabe aqueles filmes ou desenhos da Disney em que as pessoas estão com colar havaiano e camisas florais super sorridentes e receptivas? Pois então, desde o aeroporto você vê e sente esse acolhimento do povo havaiano.

De lá, peguei um Uber até o hostel. Como ainda era cedo pra fazer check-in, nos trocamos (já estava mais de 35 graus!) e fomos em um restaurante conhecido nos EUA chamado Denny’s para tomar café da manhã reforçado.

Após o café, fomos caminhando até um dos pontos mais conhecidos de Honolulu: Diamond Head, também chamado em português como Cratera Cabeça de Diamante. Um dos pontos mais altos da ilha para poder ver Honolulu e algumas praias da cidade, como Waikiki Beach. Durante a trilha nesse parque, tem muita escada pra subir também, assim como um túnel para atravessar (a pé, claro) que tem de ser atravessado com as pessoas meio encurvadas de tão pequeno. Mas super tranquilo e vale muito a pena depois que se atravessa! Todo a trilha deve ter durado (ida e volta) umas 4 horas.

DICA: fazer xixi antes de começar o hiking! hahaha

Para ir até lá, passamos por alguns lugares como Kahala, Waialae e Kilauea Park (onde fica o Diamond Head). De lá, fomos para Waikiki Beach ver o pôr-do-sol que, diga-se de passagem, foi um dos mais lindos que já vi.

Diamond Head (do arquivo pessoal)

Pôr-do-sol na praia de Waikiki (do arquivo pessoal)

– Dia 2 (04/Set/2018)

Como não havíamos alugado carro, descobrimos que tem como atravessar a ilha de Oahu e visitar vários pontos importantes da ilha por ônibus de linha mesmo. Então, por US$ 5,50 o passe diário (na época custaria uns R$22), utilizamos esse meio de transporte para visitarmos todos os lugares.

DICA 1: levar dólar em espécie e em notas não tão altas para poder pagar a passagem, pois os motoristas não gostam de pegar notas acima de US$ 20 para dar troco… hahaha

DICA 2: descobrimos no meio da viagem que há um app/website chamado TURO em que é possível alugar carro de moradores locais e custa muito mais barato. Por exemplo, teria como alugar carro por US$ 14 por dia.


Voltar